Extensão e “ex” tensão: o sonho é possível !

Sonhar, sonhei.

Caminhar, caminhei.

Carona eu peguei.

Carona para o sucesso,

Para o sonho sem regresso

Rumo à realidade construída!

 

Canudinhos recheados eu vendi

Para poder chegar até aqui

Na cidade grande, a capital.

Uau!!!

 

Lugar de gente bonita,

Trabalhadora e inteligente,

Não somente competente,

Assim como era com a minha gente.

 

E agora vou te falar,

Que além de me formar

Muita coisa vim fazer.

 

Me belisca que eu tô sonhando

Aqui na universidade pública,

Tem gente (poucas mais tem)

Que assim como a gente (daí e dalí)

Faz mais do que ler e escrever.

 

Essa gente, que como eu,

(e como nós)

Muita coisa já perdeu

Por escolher ser como é.

 

O sonho, nesse caso cabe,

se não na universidade,

na periferia.

No periferia dos Sonhos.

Veja que falo no plural

Porque nem todo mundo é igual!

Mas cada um com seu cada qual.

 

 

Eduardo Sodré de Souza